Tá Contratado – Notícias e Novidades

8 de janeiro: Ibaneis minimizou pedido de Pacheco por reforço

Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

  • Carregando…

depoimento Ibaneis Rocha PFGovernador afastado do DF, Ibaneis Rocha.| Foto: Joedson Alves/EFE.

Ouça este conteúdo

Mensagens extraídas pela Polícia Federal do celular do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), mostram que ele minimizou um alerta feito pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) sobre possíveis protestos violentos no dia 8 de janeiro. As mensagens constam no laudo da PF enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) e foram divulgadas pelo Jornal Nacional, da TV Globo, portal g1 e portal UOL com imagens e prints dos documentos.

Além de tranquilizar Pacheco, o governador afastado trocou mensagens com o ministro da Justiça, Flávio Dino, e com a presidente do STF, ministra Rosa Weber.

“Estimado governador, boa noite! Polícia do Senado está um tanto apreensiva pelas notícias de mobilização e invasão ao Congresso. Pode nos ajudar nisso?”, escreveu Pacheco a Ibaneis às 20h do sábado (7). Ibaneis respondeu: “Já estamos mobilizados. Não teremos problemas. Coloquei toda a força nas ruas”.

Dino questionou Ibaneis sobre esquema de segurança

O ministro da Justiça enviou, às 21h11, do dia 7, ao então governador o ofício que solicitava o bloqueio da circulação de ônibus no entorno da Praça dos Três Poderes nos dias 8 e 9. Já na madrugada do dia 8, às 00h29, Dino encaminhou uma notícia do portal Metrópoles, na qual Ibaneis dizia que as manifestações na Esplanada dos Ministérios seriam liberadas desde que fossem “pacíficas”.

O ministro da Justiça então afirma: “Governador, não entendi bem qual será a sua orientação para a Polícia do DF”. E acrescenta: “Onde será o ponto de bloqueio e de que forma?”

Ibaneis só respondeu ao ministro às 11h21, com um relatório e um áudio do então secretário-executivo de Segurança Pública do DF, Fernando de Souza Oliveira. No dia das invasões, Oliveira comandava a secretaria de forma interina, pois o titular da pasta, Anderson Torres, estava nos Estados Unidos.

“Público oriundo das caravanas em torno de 2.500 pessoas. Verificou-se chegada de mantimentos (alimentos, água, material de higiene) e instalação de diversas barracas de camping e lona”, diz um trecho do relatório. “Situação tranquila, no momento”, acrescentou.

No áudio de Oliveira encaminhado a Dino, o secretário interino diz: “Passando pro senhor as últimas notícias da madrugada e do início do dia…não houve nenhuma intercorrência relacionada aos manifestantes. Tudo bem tranquilo, eles estão lá no…a maioria no QG, mas de forma pacífica e tranquila”. O ministro agradeceu o governador.

Por volta das 14h30, Ibaneis enviou a Dino um novo áudio do secretário em exercício: “Informe do meio-dia”, disse. “Até agora nossa Inteligência está monitorando e não há nenhum informe de questão de agressividade ligada a esse tipo de comportamento. Então, esse é o último informe pro senhor. Tem aproximadamente 150 ônibus já no DF, mas todo mundo de forma ordeira e pacífica”, disse Oliveira no áudio.

“Oremos para que tudo acabe bem”, disse o ministro em resposta. Às 16h05, quando a invasão e depredação em Brasília já havia começado, o governador não atendeu uma ligação de Dino. Alguns minutos depois, a presidente do Supremo alertou Ibaneis sobre a invasão do Congresso. Após os alertas, às 16h43, ele disse ao ministro: “Vamos precisar do Exército”.

O Exército não foi chamado para conter os vândalos, o governo Lula determinou intervenção federal na segurança pública do DF ainda naquela tarde. Na noite do dia 8, o ministro Alexandre de Moraes afastou Ibaneis do cargo.

“Já entraram no Congresso”, disse Rosa Weber a Ibaneis

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber, enviou mensagens para Ibaneis Rocha durante os atos de vandalismo nas sedes dos Três Poderes no dia 8 de janeiro. “Já entraram no Congresso!”, diz a mensagem enviada às 16h25 pela ministra ao governador afastado.

Ibaneis respondeu a Rosa Weber que “todas as forças de segurança” estavam nas ruas. Ele também enviou para a presidente do STF o contato de Oliveira. A ministra afirmou: “O Secretário de Segurança do DF está de férias, por isso o contato como senhor!”, escreve a ministra. Ibaneis responde: “Estamos cuidando”.

Veja Também:

Deixe sua opinião

Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

  • Carregando…

Veja mais matérias que causaram reações nos leitoresAtualizado às

    Encontrou algo errado na matéria?comunique errosSobre a Gazeta do PovoxSobre a Gazeta do Povo

    Related Posts