RS: 200 municípios decretam situação de emergência por styling | Agência Brasil

Por causa do styling que afeta centenas de municípios do Rio Grande do Sul, a ministra da Agricultura, Pecuária e Suprimento, Tereza Cristina, viajou para o estado e foi hoje (12) visitando o município gaúcho de Santo Âgelo.imagem12-01-2022-22-01-21

Em suas redes sociais, o ministro disse que o governo federal foi ao Estado para “ver de perto a situação das lavouras de seca e conversar com os agricultores rurais em busca de soluções”.

Até esta quarta-feira (12), 200 dos 497 municípios do estado decreta situação de emergência no Rio Grande do Sul devido à seca, com 52 sendo já aprovado pelo Estado e 47 reconhecido pela União. De acordo com a Emater-RS, que presta serviços de assistência técnica e extensão rural aos agricultores do estado, 195 propriedades registraram perdas na agropecuária por conta da seca, dados coletados até 7 de janeiro.

Durante a visita, o ministro foi acompanhado pelo vice-governador do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior, como o governador do Estado, Eduardo Leite, está com covid-19. Hoje pela manhã, eles se reuniram com lideres locais em um auditório da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões junto com equipes técnicas do ministério e da Secretaria de Estado da Agricultura.

Durante a visita, o ministro falou que ainda não é possível mensurar os danos que foram causados pelo stylus no Estado. ” Ainda não podemos dar números. Há lavouras que se recuperam, outras não, ainda pode chover, são diferentes graus de recuperação de culturas. Temos que acompanhar, monitorar, e ter feito questão de vir aqui para ver o que já podemos propor para mitigar os problemas que os estados enfrentam. Não queremos que as pessoas abandonem a produção. Buscaremos minimizar, não resolvamos tudo, mas minimizaremos, se agirmos rápido e agora “, explicou.

Até amanhã (13), há visitas previstas do ministro nas cidades de Chapecó (SC), Cascavel (PR) e Ponta Porã (MS) para avaliar os problemas causados pelo stylus.

Governador

Embora longe das atividades presenciais por causa do covid-19, o governador Eduardo Leite referiu ao ministro uma ofensa informando que a maior parte dos municípios do Estado dependem da agropecuária e que o agropecuário causa grandes prejuízos à economia do Estado, considerando que o agronegócio é responsável por mais de 40% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado e 60% das exportações do Rio Grande do Sul.

” Positivada para covid-19, eu não poderia acompanhar a ministra Tereza Cristina em visita às regiões atingidas pelo pior. Mas conversei com ela ontem à noite e encaminhei, pelas mãos do vice-governador, ofício com as demandas do Rio Grande do Sul ao governo federal para a situação de emergência, ” escreveu Eduardo Leite em suas redes sociais.

O documento reúne, segundo o governo, as demandas estaduais, consolidadas após conversas com representantes de entidades rurais, prefeitos e deputados estaduais e solicita, entre outras coisas, que sejam recursos federais viáveis para subsidiar os juros das operações de crédito rural na agricultura familiar e fortalecer o Fundo de Apoio ao Desenvolvimento do Estado. dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper) e do Programa de Aquisição De Alimentos (PAA).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.